domingo, 31 de março de 2013

REDAÇÃO DISSERTATIVA/ARGUMENTATIVA

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO 




SUBSECRETARIA DE GESTÃO DE ENSINO
SUPERINTENDÊNCIA PEDAGÓGICA
DIRETORIA REGIONAL METROPOLITANA I








I. Plano de Aula: Data: 2013

II. Dados de Identificação:
Disciplina: LÍNGUA PORTUGUESA                                                Série:  3º ANO EM      


III. Currículo Mínimo:
- Identificar o tema, as ideias centrais e secundárias, e ainda as informações implícitas do texto.
- Diferenciar fato de opinião e relacioná-los aos fatores que concorrem para a construção do ponto de vista. 

Matriz de Referência:

D06 - Identificar o tema de um texto.
D14 - Distinguir um fato de uma opinião relativa a este fato.

IV. Objetivos: 
 
Reconhecer a estrutura e a finalidade do texto dissertativo/argumentativo.

 V. Conteúdo:
 
  REDAÇÃO DISSERTATIVA/ARGUMENTATIVA

VI. Desenvolvimento do tema

Apresentação do filme; (http://www.youtube.com/watch?v=CKOsCD6BItc)
Debate em relação ao filme;
Reconhecer no conteúdo do filme sua realidade;
Trabalhar a estrutura do tipo textual focalizado na persuasão e a argumentação.
Produzir redação dissertativa/argumentativa.



VII. Recursos didáticos:
  Saneamento Básico, o filme.
 
VIII. Avaliação:

Redação dissertativa/argumentativa / debate


XIX. Bibliografia:
---

X. Elaboradores do Plano:
 
Lucimar F. de Souza (CIEP 168 ILDA SILVEIRA RODRIGUES)
Lucimere M. dos Santos (CIEP 168  ILDA SILVEIRA RODRIGUES)
Michele Cristina S. de Souza (CE SARGENTO ANTÔNIO ERNESTO)
Aparecida E. Azevedo (CE SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA)
Eliane Vianna (CE JOSÉ BONIFÁCIO)
Eliana dos Reis de Carvalho Paes (CE JOSÉ BONIFÁCIO)
Bárbara Adriana P. de O. S. de Assis (CIEP 168  ILDA SILVEIRA RODRIGUES)

MODERNISMO BRASILEIRO (3)

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO 


SUBSECRETARIA DE GESTÃO DE ENSINO
SUPERINTENDÊNCIA PEDAGÓGICA
DIRETORIA REGIONAL METROPOLITANA I








I. Plano de Aula: Data: 2013

II. Dados de Identificação:
Disciplina: LÍNGUA PORTUGUESA - LITERATURA                                  Série:  3º ANO EM     


III. Currículo Mínimo:
- Relacionar os modos de organização da linguagem às escolhas do autor, à tradição literária e ao contexto sociocultural de cada época.
- Caracterizar o Modernismo brasileiro.
- Identificar o caráter de transgressão/manutenção presente na literatura modernista.
- Avaliar a significação dos panfletos na configuração estética das produções literárias modernistas.
- Estabelecer relações intertextuais entre os textos literários lidos e outras formas de manifestação artística.
 
Matriz de Referência:
D03 - Inferir o sentido de uma palavra ou expressão.
D04 - Inferir uma informação implícita em um texto.
D16 - Identificar efeitos de ironia e humor em textos variados.
D17 - Reconhecer o efeito de sentido decorrente do uso da pontuação e de outras notações.
D19 - Reconhecer o efeito de sentido decorrente da exploração de recursos ortográficos e/ou morfosintáticos.



IV. Objetivos: 
  Caracterizar o modernismo brasileiro / identificar o caráter de transgressão / manutenção presente na literatura brasileira

V. Conteúdo:

MODERNISMO: SEMANA DE ARTE MODERNA


VI. Desenvolvimento do tema

Apresentar o poema "Os Sapos" de Manuel Bandeira.
Os Sapos Enfunando os papos,
Saem da penumbra,
Aos pulos, os sapos.
A luz os deslumbra.

Em ronco que aterra,
Berra o sapo-boi:
- "Meu pai foi à guerra!"
- "Não foi!" - "Foi!" - "Não foi!".

O sapo-tanoeiro,
Parnasiano aguado,
Diz: - "Meu cancioneiro
É bem martelado.

Vede como primo
Em comer os hiatos!
Que arte! E nunca rimo
Os termos cognatos.

O meu verso é bom
Frumento sem joio.
Faço rimas com
Consoantes de apoio.

Vai por cinquüenta anos
Que lhes dei a norma:
Reduzi sem danos
A fôrmas a forma.

Clame a saparia
Em críticas céticas:
Não há mais poesia,
Mas há artes poéticas..."

Urra o sapo-boi:
- "Meu pai foi rei!"- "Foi!"
- "Não foi!" - "Foi!" - "Não foi!".

Brada em um assomo
O sapo-tanoeiro:
- A grande arte é como
Lavor de joalheiro.

Ou bem de estatuário.
Tudo quanto é belo,
Tudo quanto é vário,
Canta no martelo".

Outros, sapos-pipas
(Um mal em si cabe),
Falam pelas tripas,
- "Sei!" - "Não sabe!" - "Sabe!".

Longe dessa grita,
Lá onde mais densa
A noite infinita
Veste a sombra imensa;

Lá, fugido ao mundo,
Sem glória, sem fé,
No perau profundo
E solitário, é

Que soluças tu,
Transido de frio,
Sapo-cururu
Da beira do rio...

 http://www.casadobruxo.com.br/poesia/m/sapos.htm

Analisar com a turma o conteúdo do texto com a proposta modernista. Ruptura da estrutura poética parnasiana.

Discutir a metáfora do emprego do termo "Sapos". A relação desse substantivo com os poetas parnasianos.

Abordar a pontuação e o vocabulário modernista como forma de transgressão literária.

Elaborar linha do tempo do Modernismo Brasileiro.

VII. Recursos didáticos:

 
Datashow, folhas com poema, panfletos, slides.
 
VIII. Avaliação:
 
Será feita através de observação.


XIX. Bibliografia:
Currículo Mínimo, Livro didático Português Linguagens volume 3.

X. Elaboradores do Plano:

Angela Marpesia de Faria (CE VEREADOR PERCY BATISTA CRISPIN)
Angélica Ribeiro Ferreira (CE VEREADOR PERCY BATISTA CRISPIN)
Gisela Ferreira de Paula (CE VEREADOR PERCY BATISTA CRISPIN)
Luciana Silva Guinancio (CE VICENTINA GOULART)
Márcia Marinho (CE VICENTINA GOULART)
Maria Socorro O. Martins Fonseca (CE AMBAÍ)
Rosana da Silva (CE FIGUEIRA)
 

MODERNISMO BRASILEIRO (2)

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO 

SUBSECRETARIA DE GESTÃO DE ENSINO
SUPERINTENDÊNCIA PEDAGÓGICA
DIRETORIA REGIONAL METROPOLITANA I








I. Plano de Aula: Data: 2013

II. Dados de Identificação:
Disciplina: LÍNGUA PORTUGUESA - LITERATURA                                  Série:  3º ANO EM     


III. Currículo Mínimo:
- Relacionar os modos de organização da linguagem às escolhas do autor, à tradição literária e ao contexto sociocultural de cada época.
- Caracterizar o Modernismo brasileiro.
- Identificar o caráter de transgressão/manutenção presente na literatura modernista.
- Avaliar a significação dos panfletos na configuração estética das produções literárias modernistas.
- Estabelecer relações intertextuais entre os textos literários lidos e outras formas de manifestação artística.
Matriz de Referência:

D04 - Inferir uma informação implícita em um texto.
D05 - Interpretar texto com auxílio de material gráfico diverso (propagandas, quadrinhos, fotos, etc.).
D16 - Identificar efeitos de ironia e humor em textos variados.
D17 - Reconhecer o efeito de sentido decorrente do uso da pontuação e de outras notações.
D18 - Reconhecer o efeito de sentido decorrente da escolha de uma determinada palavra ou expressão.
D19 - Reconhecer o efeito de sentido decorrente da exploração de recursos ortográficos e/ou morfosintáticos.
D20 - Reconhecer diferentes formas de tratar uma informação na comparação de textos que tratam do mesmo tema, em função das condições em que ele foi produzido e daquelas em que será recebido.


IV. Objetivos: 
  Relacionar os modos de organização da linguagem às escolhas do autor, à tradição literária e ao contexto sociocultural da época.

V. Conteúdo:

MODERNISMO BRASILEIRO


VI. Desenvolvimento do tema

Incentivação: exibição de fragmentos do filme "Tempos Modernos" para contextualização do processo histórico do Modernismo. (http://www.youtube.com/watch?v=D_kpovzYBT8)
Apresentação de trechos da adaptação em quadrinhos "O Triste Fim de Policarpo Quaresma" de Lima Barreto, concomitante a trechos do próprio clássico e também "Canção do Exílio" de Gonçalves Dias.





CANÇÃO DO EXÍLIO
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá;
As aves que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.
Nosso céu tem mais estrelas,
Nossas várzeas têm mais flores,
Nossos bosques têm mais vida,
Nossa vida mais amores.
Em cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.
Minha terra tem primores,
Que tais não encontro eu cá;
Em cismar – sozinho, à noite – Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.
Não permita Deus que eu morra,
Sem que eu volte para lá;
Sem que desfrute os primores
Que não encontro por cá;
Sem que ainda aviste as palmeiras,
Onde canta o Sabiá.
Através de debates e questões de interpretação textual faremos paralelos entre a situação do Brasil  colônia (Quinhentismo), Brasil independente (Romantismo - 1ª Geração), Brasil pré-moderno e Brasil contemporâneo.
A aula terminará como uma proposta de produção textual em que o aluno redigirá um texto dissertativo-argumentativo acerca da conscientização do patriotismo nos dias atuais.

VII. Recursos didáticos:

 
Datashow, folha com questões, folhas com fragmentos dos textos, DVD do filme.
VIII. Avaliação:

O aluno será avaliado de acordo com a sua participação e elaboração das questões.


XIX. Bibliografia:

"O Triste Fim de Policarpo Quaresma" de Lima Barreto, adaptação.

X. Elaboradores do Plano:


Camila Sabino - (CE DOM JOÃO VI)
Marcia Ferreira - (CE PREFEITO LUIZ GUIMARÃES)
Maria José Barbosa - (CE DOM JOÃO VI)
Rosangela Barbosa - (CE PREFEITO LUIZ GUIMARÃES)

MANISFESTOS DO MODERNISMO

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO 


SUBSECRETARIA DE GESTÃO DE ENSINO
SUPERINTENDÊNCIA PEDAGÓGICA
DIRETORIA REGIONAL METROPOLITANA I








I. Plano de Aula: Data: 2013

II. Dados de Identificação:
Disciplina: LÍNGUA PORTUGUESA - LITERATURA                                  Série:  3º ANO EM     


III. Currículo Mínimo:
- Relacionar os modos de organização da linguagem às escolhas do autor, à tradição literária e ao contexto sociocultural de cada época.
 
Matriz de Referência:

D01 - Localizar informações explícitas em um texto.
D03 - Inferir o sentido de uma palavra ou expressão.
D04 - Inferir uma informação implícita em um texto.
D05 - Interpretar texto com auxílio de material gráfico diverso (propagandas, quadrinhos, fotos, etc.).
D06 - Identificar o tema de um texto.
D07 - Identificar a tese de um texto.
D08 - Estabelecer relação entre a tese e os argumentos oferecidos para sustentá-la.


IV. Objetivos: 
  Aprimorar o nível de leitura e identificar época e característica.
  
V. Conteúdo:

MANIFESTO PAU-BRASIL


VI. Desenvolvimento do tema

Apresentar e comentar em slides o Manifesto Pau-Brasil; (https://www.youtube.com/watch?v=nP0cM1PRd1E)

Exercício em sala questões referentes à análise e interpretação textual;
1) LITERATURA MANIFESTO DA POESIA PAU-BRASIL(fragmento) Lançado por Oswald de Andrade, no Correio da Manhã, em 18 de março de 1924. Houve um fenômeno de democratização estética nas cinco partes sábias do mundo. Instituíra-se o naturalismo. Copiar. Quadro de carneiros que não fosse lã mesmo não prestava. A interpretação do dicionário oral das Escolas de Belas-Artes queria dizer reproduzir igualzinho... Veio a pirogravura. As meninas de todos os lares ficaram artistas. Apareceu a máquina fotográfica. E com todas as prerrogativas do cabelo grande, da caspa e da misteriosa genialidade de olho virado – o artista fotógrafo. Na música, o piano invadiu as saletas nuas, de folhinha na parede. Todas as meninas ficaram pianistas. Surgiu o piano de manivela, o piano de patas. A Playela. E a ironia eslava compôs para a Playela. Stravinski. A estatuária andou atrás. As procissões saíram novinhas das fábricas. Só não se inventou uma máquina de fazer versos – já havia o poeta parnasiano. (...) Nossa época anuncia a volta ao sentido puro. Um quadro são linhas e cores. A estatuária são volumes sob a luz. A poesia Pau-Brasil é uma sala de jantar domingueira, com passarinhos cantando na mata resumida das gaiolas, um sujeito magro compondo uma valsa para flauta e a Maricota lendo o jornal. No jornal anda todo o presente. (apud TELES, Gilberto M. Vanguarda Européia e Modernismo Brasileiro. Petrópolis: Vozes, 1977.) O texto de Oswald de Andrade critica a estética naturalista porque: 

2) LITERATURA O modo de produção textual dos parnasianos, citado no Manifesto da Poesia Pau-Brasil, está explicitado no seguinte fragmento de outro autor:
 
http://www.e24h.com.br/simonline/resultados/gabaritos/portugues.cfm?simuladao_id=11
 
Identificação da ideologia modernista, legado do modernismo para a arte contemporânea.


VII. Recursos didáticos:
 
Datashow, folha avulsa para atividade.
 
VIII. Avaliação:

Correção das atividades.



XIX. Bibliografia:

História Concisa da Literatura Brasileira - Alfredo Bosi


X. Elaboradores do Plano:

Daniel Falcão (CE FRANCISCO ASSUMPÇÃO)
Marina Lins A. Souza (CE FRANCISCO ASSUMPÇÃO)
Rosana das Graças Maroso da Silva (CE FRANCISCO ASSUMPÇÃO)
Sueli de Fátima M.M Pimentel (CE MARIA JUSTINIANO FERNANDES / CE ENGENHEIRO AREA LEÃO)
Denize Ormond dos Santos (CE MARECHAL JUAREZ TÁVORA)

CARTA (5)

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO 

SUBSECRETARIA DE GESTÃO DE ENSINO
SUPERINTENDÊNCIA PEDAGÓGICA
DIRETORIA REGIONAL METROPOLITANA I








I. Plano de Aula: Data: 2013

II. Dados de Identificação:
Disciplina: LÍNGUA PORTUGUESA                                                Série:  9º ANO EF      


III. Currículo Mínimo:
- Reconhecer a estrutura das cartas pessoal e oficial (requerimento, ofício e solicitação), diferenciando-as quanto à sua finalidade e esfera de circulação.
- Reconhecer a estrutura do currículo, atentando para as diferentes finalidades que este possa ter.
- Identificar a argumentação na carta do leitor.
- Reconhecer os níveis de formalidade empregados nos textos.
Matriz de Referência:

D01 - Localizar informações explícitas em um texto.
D03 - Inferir o sentido de uma palavra ou expressão.
D04 - Inferir uma informação implícita em um texto.
D06 - Identificar o tema de um texto.
D07 - Identificar a tese de um texto.
D08 - Estabelecer relação entre a tese e os argumentos oferecidos para sustentá-la.
D12 - Identificar a finalidade de textos de diferentes gêneros.
D14 - Distinguir um fato da opinião relativa a este fato.


IV. Objetivos: 
 Identificar a estrutura formal de uma carta; produzir carta formal.
  
V. Conteúdo:

CARTA


VI. Desenvolvimento do tema

Leitura / levantamento do vocabulário (uso do dicionário)/ abordagem oral do texto / exploração do conteúdo dos textos de acordo com a matriz de referência (elaboração de questões específicas sobre o tema) / intertextualização (análise comparativa entre os dois gêneros: carta-poema, carta formal. / Produção textual / reescrita da carta-poema, passando para estrutura da carta formal.








VII. Recursos didáticos:
Carta poema - Manuel Bandeira / Carta Formal - Palavras - Hermínio Sargentim
VIII. Avaliação:
Produção de uma carta formal.


XIX. Bibliografia:

Carta poema - Manuel Bandeira / Carta Formal - Palavras - Hermínio Sargentim


X. Elaboradores do Plano:

Marcia Cristina Teixeira
Nanci Mattos dos Santos
Rita de Cássia Carreiro Tatagiba
Jaqueline Conde
Fabiana de Paula Lessa Oliveira
Érica Sanches Barbosa
Rosana Orgélio 

CARTA (4)

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO 


SUBSECRETARIA DE GESTÃO DE ENSINO
SUPERINTENDÊNCIA PEDAGÓGICA
DIRETORIA REGIONAL METROPOLITANA I








I. Plano de Aula: Data: 2013

II. Dados de Identificação:
Disciplina: LÍNGUA PORTUGUESA                                                Série:  9º ANO EF      


III. Currículo Mínimo:
-  Reconhecer a estrutura das cartas pessoal e oficial (requerimento, ofício e solicitação), diferenciando-as quanto à sua finalidade e esfera de circulação.

Matriz de Referência:

D01 - Localizar informações explícitas em um texto.
D13 - Identificar as marcas linguísticas que evidenciam o locutor e o interlocutor de um texto.
D20 - Reconhecer diferentes formas de tratar uma informação na comparação de textos que tratam do mesmo tema, em função das condições em que ele foi produzido e daquelas em que será recebido.



IV. Objetivos: 
 
Identificar as maneiras de se reconhecer a informação.

 
 V. Conteúdo:
 
CARTA


VI. Desenvolvimento do tema

A aula será desenvolvida a partir de algumas etapas:

Apresentação do quadro-resumo com as características estruturais da carta pessoal (informal, formal e carta do leitor)
Produção textual: elaboração de carta pessoal.
Construção e preenchimento do envelope.


VII. Recursos didáticos:
 
datashow.
 
VIII. Avaliação:
 
Observar a produção textual - participação.


XIX. Bibliografia:
Carta e suas características pessoais. Autora: Miriam Chaves Carneiro.
http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=27658 (sugestão do material pedagógico, 9º ano Língua Portuguesa)


X. Elaboradores do Plano:
 
Genilza Resende S. dos Santos (CIEP 025 GETÚLIO SALES)
Simoni Guedes Tonietto (CE FIGUEIRA)
Elizeth Dias Prado (CE VICENTINA GOULART)
 

CARTA FORMAL E INFORMAL

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO 



SUBSECRETARIA DE GESTÃO DE ENSINO
SUPERINTENDÊNCIA PEDAGÓGICA
DIRETORIA REGIONAL METROPOLITANA I








I. Plano de Aula: Data: 2013

II. Dados de Identificação:
Disciplina: LÍNGUA PORTUGUESA                                                Série:  9º ANO EF      


III. Currículo Mínimo:
- Identificar a argumentação na carta do leitor.

Matriz de Referência:

D06 - Identificar o tema de um texto.


IV. Objetivos: 
 
Melhor compreensão da mensagem transmitida.

 V. Conteúdo:
 
  CARTA FORMAL E INFORMAL

VI. Desenvolvimento do tema

Depois de mostrar os textos (cartas formais e informais) elaborar um debate para percepção de detalhes, tais como:
data, vocativo, conteúdo, linguagem, pronome de tratamento, despedida.

Prática:
Elaborar para um amigo uma carta informal (envelope entregue pelos correios);
Elaborar para a direção da escola sobre um tema pertinente (mudança, agradecimento)


VII. Recursos didáticos:
 Datashow, texto impresso.
 
VIII. Avaliação:

Produção textual


XIX. Bibliografia:
 
http://www.blogbrasil.com.br/modelo-de-carta-formal-e-informal/


X. Elaboradores do Plano:
 
Didiane de Barros (CIEP 075 JARDIM CABUÇU)
Fabiane Evangelista da Silva (CIEP 196 SÃO TEODORO)
Luiz Antonio de Oliveira (CE BARÃO DE TINGUÁ)
Solange Xavier Ribeiro Pontes (CE CAPITÃO JOAQUIM QUARESMA DE OLIVEIRA)
Marcia Ferreira M. dos Santos (CE MARIA EMÍLIA AMARAL FONTOURA
 

CARTA PESSOAL

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO 


SUBSECRETARIA DE GESTÃO DE ENSINO
SUPERINTENDÊNCIA PEDAGÓGICA
DIRETORIA REGIONAL METROPOLITANA I








I. Plano de Aula: Data: 2013

II. Dados de Identificação:
Disciplina: LÍNGUA PORTUGUESA                                                Série:  9º ANO EF      


III. Currículo Mínimo:
- Reconhecer a estrutura das cartas pessoal sua finalidade e esfera de circulação.
 
Matriz de Referência:

D01 - Reconhecer iformações explícitas em um texto.
D06 - Identificar o tema de um texto.
D12 - Identificar a finalidade de textos de gêneros diferentes.
D13 - Identificar as marcas linguísticas que evidenciam o locutor e o interlocutor de um texto.



IV. Objetivos: 
 
Identificar e produzir cartas pessoais.

 V. Conteúdo:
 
  CARTA PESSOAL

VI. Desenvolvimento do tema

Exibição do filme: "Cartas para Julieta"; (http://www.youtube.com/watch?v=owrxuCmwK8Q)
Discussão sobre o filme salientando a importância da carta pessoal para o desenvolvimento da história.
Exposição dos elementos que compõem este gênero textual, através de exemplos de cartas (levadas pelo docente) xerocadas e entregue para os alunos.(http://letrasmundosaber.blogspot.com.br/2010/03/carta-pessoal.html)
Proposta de produção de cartas que serão trocadas entre os próprios alunos e expostas no "Muro de Julieta" (inspirado no filme), que será confeccionado pelos alunos.


VII. Recursos didáticos:
 Datashow, folhas xerocadas, papel pardo.
 
VIII. Avaliação:

Montagem do Mural com a produção de cartas.


XIX. Bibliografia:
 
http://www.youtube.com/watch?v=owrxuCmwK8Q
http://letrasmundosaber.blogspot.com.br/2010/03/carta-pessoal.html

X. Elaboradores do Plano:
 
Raquel Pontes Avila (CIEP 390 CHÃO DE ESTRELAS)
Débora de Vilhena Alves (CE SANTA RITA DE CÁSSIA)
Rosemary de O. Lima do Nascimento (CE ALFREDO NEVES)
Vera Cristina Oliveira dos Santos (CIEP 365 ASA BRANCA)
Elaine Souza da Silva (CIEP 365 ASA BRANCA)