domingo, 31 de março de 2013

MODERNISMO BRASILEIRO (2)

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO 

SUBSECRETARIA DE GESTÃO DE ENSINO
SUPERINTENDÊNCIA PEDAGÓGICA
DIRETORIA REGIONAL METROPOLITANA I








I. Plano de Aula: Data: 2013

II. Dados de Identificação:
Disciplina: LÍNGUA PORTUGUESA - LITERATURA                                  Série:  3º ANO EM     


III. Currículo Mínimo:
- Relacionar os modos de organização da linguagem às escolhas do autor, à tradição literária e ao contexto sociocultural de cada época.
- Caracterizar o Modernismo brasileiro.
- Identificar o caráter de transgressão/manutenção presente na literatura modernista.
- Avaliar a significação dos panfletos na configuração estética das produções literárias modernistas.
- Estabelecer relações intertextuais entre os textos literários lidos e outras formas de manifestação artística.
Matriz de Referência:

D04 - Inferir uma informação implícita em um texto.
D05 - Interpretar texto com auxílio de material gráfico diverso (propagandas, quadrinhos, fotos, etc.).
D16 - Identificar efeitos de ironia e humor em textos variados.
D17 - Reconhecer o efeito de sentido decorrente do uso da pontuação e de outras notações.
D18 - Reconhecer o efeito de sentido decorrente da escolha de uma determinada palavra ou expressão.
D19 - Reconhecer o efeito de sentido decorrente da exploração de recursos ortográficos e/ou morfosintáticos.
D20 - Reconhecer diferentes formas de tratar uma informação na comparação de textos que tratam do mesmo tema, em função das condições em que ele foi produzido e daquelas em que será recebido.


IV. Objetivos: 
  Relacionar os modos de organização da linguagem às escolhas do autor, à tradição literária e ao contexto sociocultural da época.

V. Conteúdo:

MODERNISMO BRASILEIRO


VI. Desenvolvimento do tema

Incentivação: exibição de fragmentos do filme "Tempos Modernos" para contextualização do processo histórico do Modernismo. (http://www.youtube.com/watch?v=D_kpovzYBT8)
Apresentação de trechos da adaptação em quadrinhos "O Triste Fim de Policarpo Quaresma" de Lima Barreto, concomitante a trechos do próprio clássico e também "Canção do Exílio" de Gonçalves Dias.





CANÇÃO DO EXÍLIO
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá;
As aves que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.
Nosso céu tem mais estrelas,
Nossas várzeas têm mais flores,
Nossos bosques têm mais vida,
Nossa vida mais amores.
Em cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.
Minha terra tem primores,
Que tais não encontro eu cá;
Em cismar – sozinho, à noite – Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.
Não permita Deus que eu morra,
Sem que eu volte para lá;
Sem que desfrute os primores
Que não encontro por cá;
Sem que ainda aviste as palmeiras,
Onde canta o Sabiá.
Através de debates e questões de interpretação textual faremos paralelos entre a situação do Brasil  colônia (Quinhentismo), Brasil independente (Romantismo - 1ª Geração), Brasil pré-moderno e Brasil contemporâneo.
A aula terminará como uma proposta de produção textual em que o aluno redigirá um texto dissertativo-argumentativo acerca da conscientização do patriotismo nos dias atuais.

VII. Recursos didáticos:

 
Datashow, folha com questões, folhas com fragmentos dos textos, DVD do filme.
VIII. Avaliação:

O aluno será avaliado de acordo com a sua participação e elaboração das questões.


XIX. Bibliografia:

"O Triste Fim de Policarpo Quaresma" de Lima Barreto, adaptação.

X. Elaboradores do Plano:


Camila Sabino - (CE DOM JOÃO VI)
Marcia Ferreira - (CE PREFEITO LUIZ GUIMARÃES)
Maria José Barbosa - (CE DOM JOÃO VI)
Rosangela Barbosa - (CE PREFEITO LUIZ GUIMARÃES)

Nenhum comentário:

Postar um comentário